Laura Honda-Hasegawa

Nasceu em São Paulo, Capital, em 1947. Atuou na área da Educação até 2009. A partir daí passou a se dedicar exclusivamente à escrita, a sua grande paixão. Escreve crônicas, contos, poemas e romances, tudo sob a ótica nikkei.

Atualizado em setembro de 2018

community ja pt

Histórias de Decasséguis

História nº 41: Apesar da distância, Yugo e sua mãe estão mais juntos que nunca!

Quando Yugo estava com 4 anos de idade, os seus pais se separaram e Eneida, a sua mãe, foi embora de volta a Porto Seguro, sozinha. Para o pai dele isto não foi surpresa, pois há muito pressentia que se separariam dessa maneira devido aos comentários que ouvia dos parentes desde o início: “A Eneida veio para São Paulo atraída pelo estilo de vida que via nas novelas”. “E o tolo do meu filho dizia que foi amor à primeira vista...”. “Imagine, a Eneida nem cuida direito do bebezinho, mas bater perna na cidad…

continue a ler

migration ja pt

Histórias de Decasséguis

História nº 40: Quatro irmãs rumo ao Japão

As quatro irmãs da família Uchiyama estavam sempre juntas. Durante a infância, brincavam de casinha no quintal da avó e quando adolescentes iam ao cinema, ao concerto de música e às viagens, sempre juntas. Mas na vida adulta cada uma seguiu o seu caminho e foram se distanciando. Yuki, a mais velha delas, foi aprovada no concurso para admissão num dos maiores bancos do país e construiu uma carreira promissora na instituição financeira. A segunda, Yuri, conheceu um canadense no seu local de trabalho, casou-se com ele e part…

continue a ler

community ja pt

Histórias de Decasséguis

História nº 39 (Parte II): O que o Japão me deu de presente

Lea parte I >> Lá pelas 6 horas da tarde, a mãe de Sumie retornou do trabalho. “Oi! Cheguei! E aí, o que é que comprou? As roupinhas de bebê de agora são uma graça, não?” – dizendo isto tratou de levar as compras do supermercado para a cozinha. Não houve resposta. Então, foi ao segundo andar e encontrou Sumie caída na cama sem sentidos. No dia seguinte, Sumie despertou no leito de hospital, viu sua mãe e perguntou mostrando-se insegura: “Onde é aqui? O que foi que acontec…

continue a ler

community ja pt

Histórias de Decasséguis

História nº 39 (Parte I): O que eu ganhei de presente do Japão

Depois do falecimento de sua amada esposa, o pai de Marco deixou o único filho aos cuidados de seus pais e foi trabalhar em São Paulo. Três anos depois, com um bom trabalho e moradia, chamou o filho Marco para juntos começarem uma vida nova. Marco estava com 11 anos de idade e morar com o seu querido Papà1 era o maior dos sonhos! Todas as manhãs acordavam cedo, o pai ia trabalhar e Marco ia à escola e a vida tornou-se uma sucessão de alegrias para ambos. E o que Marco mais gostava era o fim de semana chegando, quando ia ver o Papà…

continue a ler

community ja pt

Histórias de Decasséguis

História nº 38: Minha querida família

Meu nome é Mitsuno e sou uma menina de 11 anos. Meu pai é nikkei peruano e minha mãe é nikkei nascida no Brasil. Eu nasci no Japão e a mamãe me deu esse nome em homenagem à querida avozinha dela. A mamãe veio ao Japão junto com o marido Ricardo quando tinha 21 anos, deixando a filha Monika de 2 anos no Brasil. Mas seu marido não se deu bem com a vida japonesa e acabou voltando para o Brasil em menos de meio ano. A mamãe continuou no Japão cerca de um ano trabalhando numa panificadora e depois voltou ao Brasi…

continue a ler