Tatiana Maebuchi

Nascida na cidade de São Paulo, é brasileira descendente de japoneses de terceira geração por parte de mãe e de quarta geração por parte de pai. É jornalista formada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e blogueira de viagens. Trabalhou em redação de revistas, sites e assessoria de imprensa. Fez parte da equipe de Comunicação da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), contribuindo para a divulgação da cultura japonesa.

Atualizado em julho de 2015

community en pt

Inspirar Adiante: Heróis Nikkeis abaixo dos 30 anos

Douglas Mitsuyuki Ito é idealizador de rede que interliga jovens nikkeis de todo o Brasil

Do lado paterno, os pais do bisavô vieram da província de Hokkaido e os da bisavó, de Gunma. De parte de mãe, os pais do bisavô são de Miyagi e os da bisavó, de Yamaguchi e Hiroshima. Essas são as origens familiares do yonsei Douglas Mitsuyuki Ito, de 25 anos, formado em Gestão da Tecnologia da Informação. Cultura na família “Sinto que até a parte dos meus avós existia uma cultura bem forte, com presença do budismo e costumes, bem como o idioma”, afirma. Douglas conta ainda q…

continue a ler

community en ja es pt

Inspirar Adiante: Heróis Nikkeis abaixo dos 30 anos

Graziela Tamanaha, liderança e inspiração jovem na comunidade nikkei brasileira - Parte 2

Ler Parte 1 >> Bunka Matsuri – Festa da Cultura Japonesa do Bunkyo “No ano seguinte, fui convidada para integrar a equipe de comunicação do Bunka Matsuri e fazer a divulgação do filme Pokémon: Detetive Pikachu. Para mim foi um grande desafio, porque até então eu não tinha feito parte de nenhuma comissão que tivesse um impacto tão grande para a comunidade”, reconhece. O Bunka Matsuri sempre teve um formato tradicional, entretanto, a partir de 2018, começou a mudar e passou a trazer ma…

continue a ler

community en ja es pt

Inspirar Adiante: Heróis Nikkeis abaixo dos 30 anos

Graziela Tamanaha, liderança e inspiração jovem na comunidade nikkei brasileira - Parte 1

A família do pai é de Nishihara, Okinawa, e a da mãe, de Hokkaido, no Japão. Os avós foram muito ativos em atividades culturais e quem segue os mesmos passos deles é a neta, Graziela Tamanaha, sansei de 26 anos. Com a impressionante trajetória de 7 anos na comunidade nipo-brasileira, começou uma vez ao ano, estando presente nos principais eventos, e foi aumentando gradativamente sua atuação até chegar ao comprometimento máximo atual. Raízes familiares “Cresci com duas culturas em casa, a japon…

continue a ler

culture pt

Amigurumi entrelaça cores e vidas

Duas yonsei que estudaram juntas e mantiveram a amizade, mesmo com a mudança de escola de uma delas no Ensino Médio. Uma é filha de mãe japonesa e pai mestiço (avó japonesa). A outra é filha de mãe mestiça (avô japonês) e pai não descendente. E um interesse em comum entre Thaysa Yuri Endo, de 30 anos, e Larissa Kakizaki de Alcantara, de 29 anos, as aproximou ainda mais. Hobby que virou ofício Certo dia, a mãe de Larissa – que fazia crochê como passatempo fez um amigurumi (“ami&r…

continue a ler

identity pt

A origem

Desde a infância, fiz amigos tanto de diferentes ascendências como orientais – não só nipônicos, mas também descendentes de chineses e de coreanos. Hoje penso se o que nos aproximou foi o fato de nossas culturas de origem ser parecidas ou se nosso inconsciente nos fazia sentir mais confortáveis com nossos semelhantes, por termos um “rosto familiar”. Comecei a reparar, já durante a adolescência, nos anos 1990, nos grupos de amigos “japas” que se concentravam em maior número em determinadas escolas.…

continue a ler