Discover Nikkei Logo

https://www.discovernikkei.org/pt/journal/2023/5/5/maria-elena-ota-mishima/

María Elena Ota Mishima: da concentração forçada ao El Colegio de México

María Elena Ota Mishima foi a mais importante estudiosa da imigração japonesa no México. Seu livro “ Sete migrações japonesas no México. 1890-19781 revelou a longa marcha que os imigrantes japoneses tiveram que percorrer para chegar e se estabelecer naquele país.

El estudio también significó una aportación metodológica a los estudios migratorios al clasificar a los inmigrantes de acuerdo a la forma en la que ingresaron a México, sea como colonos, bajo contrato, en forma libre, profesionistas o como invitados por sus paisanos que ya se encontraban no México. O estudo de Ota também mostrou as diversas prefeituras de onde vieram os imigrantes e os locais de destino no México, bem como os diversos ramos da economia em que os imigrantes ingressaram, como a agricultura, a mineração, a pesca ou o comércio.

No conjunto, o livro de Ota revelou a importância que os imigrantes e suas famílias tiveram na história do México. A validade de Siete Migraciones , publicada em 1982, é comprovada através das novas investigações que estudantes e pesquisadores realizam hoje. Não há tese ou trabalho de investigação aprofundado sobre a comunidade japonesa que não esteja respaldado pela proposta e informação que María Elena nos deixou.

Como professor do El Colegio de México e estudioso da emigração de japoneses e asiáticos para o México, Ota foi amplamente reconhecido. É por isso que fez parte do importante Projeto Internacional de Pesquisa Nikkei (INRP) em todo o continente, patrocinado pelo Museu Nacional Nipo-Americano na cidade de Los Angeles, Califórnia, em 1998.

María Elena Ota (sentada na extrema esquerda) junto com o grupo que promove estudos sobre as migrações japonesas no continente. Foto cortesia do Museu Nacional Japonês Americano.

Apesar da importância de sua carreira acadêmica, a trajetória pessoal e familiar de María Elena é desconhecida. Fazia parte da história que ela mesma documentou detalhadamente sobre os imigrantes.

Seu pai, Kizo Ota, chegou ao México em 1913, em plena revolução, quando o presidente Francisco I. Madero foi assassinado e a luta armada foi desencadeada em todo o país contra o usurpador Victoriano Huerta. O imigrante veio de uma das províncias mais pobres do Japão, Fukuoka, de onde veio a maioria dos imigrantes para o México.

Kizo trabalhava como agricultor em Mexicali e a mãe de María Elena, Kiyo Mishima, chegou àquela cidade a pedido de seu pai em 1928. Três anos depois, nasceu naquela cidade María Elena, a quem seus pais chamavam em japonês de Iko. Alguns anos depois, a família Ota mudou-se para El Rosario, Sinaloa, onde Kizo adquiriu uma propriedade agrícola. Nesta cidade María Elena iniciou seus estudos de educação primária.

Fotografia da mãe de María Elena no documento de entrada no México. (Arquivo Geral da Nação)

Quando a guerra entre o Japão e os Estados Unidos começou em dezembro de 1941, o governo norte-americano pediu ao governo mexicano que realocasse imediatamente todos os japoneses que viviam na fronteira. Os imigrantes e suas famílias, com o pouco que podiam carregar, começaram a se deslocar para as cidades do México e Guadalajara em janeiro de 1942.

Cartaz de propaganda do exército americano contra os japoneses (National Archives and Records Administration)

Segundo os militares norte-americanos, os imigrantes e seus descendentes representavam um “perigo” para a segurança dos Estados Unidos. Na Califórnia espalharam-se rumores de ataques e de uma suposta invasão do exército japonês da qual os imigrantes fariam parte.

As comunidades japonesas em todo o continente formaram famílias, de modo que seus descendentes eram cidadãos dos países receptores. No caso dos Estados Unidos, das 120 mil pessoas que foram levadas para dez campos de concentração, dois terços eram americanos de nascimento, portanto estavam totalmente integrados no modo de vida americano.

No México, os imigrantes e suas famílias faziam parte da economia e da sociedade das cidades onde viviam, por isso foram os seus habitantes que se opuseram à transferência obrigatória e que enviaram cartas ao governo mexicano para que os imigrantes não se concentrassem no centro de a República.

A histeria e o ódio anti-japonês que cresceram nos Estados Unidos espalharam-se por todo o continente, pelo que os japoneses e as suas famílias foram estigmatizados como “inimigos” dos países onde viviam. A guerra entre os Estados Unidos e o Japão adquiriu um forte conteúdo racista e persecutório no continente contra comunidades de origem japonesa que se instalaram em vários países americanos durante mais de quatro décadas.

María Elena Ota e seu irmão, cidadãos mexicanos de nascimento, mudaram-se com os pais para a Cidade do México em agosto de 1942. Moraram naquela cidade apenas alguns meses devido à impossibilidade de conseguir um emprego e alugar uma casa.

Diante desta situação, a família Ota e centenas de outros concentrados mudaram-se para uma antiga fazenda localizada em Temixco, próximo à cidade de Cuernavaca. A propriedade foi adquirida com recursos de alguns japoneses e pelo Kyoei-kai (Comitê de Ajuda Mútua), organização criada pelos próprios imigrantes, com o objetivo de dar aos concentrados um lugar para morar e trabalhar.

A família Ota permaneceu apenas alguns meses na fazenda Temixco porque, no início de 1943, Kizo Ota encontrou trabalho em locais próximos como agricultor produtor de arroz. Naqueles anos, María Elena iniciou os estudos secundários.

Crianças no campo de Temixco (Coleção Shozo Ogino)

No final da guerra, em 1945, as autoridades permitiram que as comunidades japonesas se deslocassem sem quaisquer restrições. A família Ota mudou-se para a Cidade do México, onde María Elena concluiu o ensino médio em 1949 com as notas mais altas. A situação econômica da família não era muito boa, então María Elena teve que trabalhar e esperar tempos melhores para ingressar na Universidade.

No final da década de 1950, María Elena ingressou na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade Nacional na especialidade de História onde se formou com louvor. O seu desempenho permitiu-lhe ingressar posteriormente no mestrado nessa mesma Faculdade.

Em 1963, logo ao terminar a pós-graduação, El Colegio de México, por recomendação de Don Daniel Cosío Villegas, solicitou à Fundação Rockefeller que concedesse a Ota uma bolsa para realizar estudos de especialização em história e cultura japonesa na Universidade de Tóquio. O objetivo do El Colegio era formar um grupo de professores para criar um Departamento de Estudos Orientais e promover um programa de mestrado naquela área geográfica.

Ao retornar do Japão em 1965, Ota ingressou no Departamento de Estudos Orientais como professora sob a direção de Graciela de la Lama. Como professor do Departamento, que mais tarde se tornaria o Centro de Estudos Asiáticos e Africanos, Ota era responsável pelo ensino da história, língua e cultura japonesas. Para facilitar o estudo da língua japonesa, María Elena preparou os primeiros manuais e ao mesmo tempo começou a estudar a fundo a história da migração japonesa para o México.

Apresentação do livro “Sete migrações”. María Elena, ao centro, entre os historiadores Emma Cosío Villegas e Silvio Zavala (Coleção El Colegio de México)

Para realizar o estudo sobre os imigrantes japoneses, tema pelo qual se doutorou pela Faculdade de Filosofia, Ota não só consultou milhares de arquivos sobre migrantes nos arquivos do Registro de Estrangeiros e Relações Exteriores, como também viajou pelo país. o país para entrevistar diretamente os próprios japoneses.

María Elena Ota fez parte da própria migração, perseguida e num ambiente hostil, conseguiu não só superar as dificuldades que a concentração gerou durante e depois da guerra, mas também formar-se como especialista em história na Universidade Nacional e como acadêmico no El Colegio de México.áreas reservadas principalmente para homens. O contacto próximo que teve com os imigrantes valeu-lhe o reconhecimento e a admiração da comunidade até à sua morte, em 2000.

Observação:

1. O livro está esgotado, mas pode ser consultado online na Biblioteca El Colegio de México .

© 2023 Sergio Hernández Galindo

imigrantes imigração Japonês japoneses no México Mexicanos japoneses Maria Elena Ota Mishima México migração estudiosos
About the Author

Sergio Hernández Galindo é formado na Faculdade do México, se especializando em estudos japoneses. Ele publicou numerosos artigos e livros sobre a emigração japonesa para o México e América Latina.

Seu livro mais recente, Os que vieram de Nagano. Uma migração japonesa para o México (2015) aborda as histórias dos emigrantes provenientes desta Prefeitura tanto antes quanto depois da guerra. Em seu elogiado livro A guerra contra os japoneses no México. Kiso Tsuru e Masao Imuro, migrantes vigiados ele explica as consequências das disputas entre os EUA e o Japão, as quais já haviam repercutido na comunidade japonesa décadas antes do ataque a Pearl Harbor em 1941.

Ele ministrou cursos e palestras sobre este assunto em universidades na Itália, Chile, Peru e Argentina, como também no Japão, onde fazia parte do grupo de especialistas estrangeiros em Kanagawa e era bolsista da Fundação Japão, afiliada com a Universidade Nacional de Yokohama. Atualmente, ele trabalha como professor e pesquisador do Departamento de Estudos Históricos do Instituto Nacional de Antropologia e História do México.

Atualizado em abril de 2016

Explore more stories! Learn more about Nikkei around the world by searching our vast archive. Explore the Journal
Estamos procurando histórias como a sua! Envie o seu artigo, ensaio, narrativa, ou poema para que sejam adicionados ao nosso arquivo contendo histórias nikkeis de todo o mundo. Mais informações
Discover Nikkei brandmark Novo Design do Site Venha dar uma olhada nas novas e empolgantes mudanças no Descubra Nikkei. Veja o que há de novo e o que estará disponível em breve! Mais informações

Discover Nikkei Updates

CRÔNICAS NIKKEIS #13
Nomes Nikkeis 2: Grace, Graça, Graciela, Megumi?
O que há, pois, em um nome? Compartilhe a história do seu nome com nossa comunidade. Inscrições já abertas!
NOVIDADES SOBRE O PROJETO
NOVO DESIGN DO SITE
Venha dar uma olhada nas novas e empolgantes mudanças no Descubra Nikkei. Veja o que há de novo e o que estará disponível em breve!