Discover Nikkei Logo

https://www.discovernikkei.org/pt/journal/2023/4/17/jorge-otsu/

Jorge Otsu, mestre autodidata em Direito Registral

Jorge Otsu aparece na companhia de seu filho George Otsu, maior especialista em gestão pública e privada e político do Peru, e de seu neto Sergio.

O Sr. Jorge Otsu Maradiegue é pai do Dr. George Otsu, recentemente nomeado Diretor da Direção de Política Criminológica da Direção Geral de Assuntos Criminológicos do Ministério da Justiça e Direitos Humanos. Como por trás de todo grande filho existe um grande pai, a história de Dom Jorge merece destaque em nota à parte. Don Jorge trabalhou por quase 40 anos no cartório Ortiz de Zevallos e é considerado mestre pelos advogados especializados em Direito Registral, embora Don Jorge nunca tenha pisado na faculdade de Direito.

Nesta nota para Peru Shimpo , vamos conhecer a inusitada história de Jorge Otsu.

* * * * *

Pai de Dom Jorge.

Depois da fazenda San Nicolás, onde chegou quando veio da prefeitura de Fukuoka para o Peru, o pai de Dom Jorge dedicou-se ao plantio de arroz em Lambayeque, junto com seu irmão Guillermo. Mas a sua peculiar técnica de plantio foi motivo de ridículo, pois utilizou canteiros em vez de lanchas, até que as pessoas vissem o resultado: a colheita foi o dobro e até o triplo da dos demais. Gembey, que é o nome do pai, começou a ensinar a técnica, a pedido do povo. Mas a guerra já estava próxima.

Manuel Odría salvou seu pai.

O pai de Dom Jorge dedicou-se posteriormente à odontologia e, entre as pessoas que conheceu, estava o capitão Manuel Odría, que mais tarde se tornaria presidente do Peru. Durante a guerra, milhares de japoneses que viviam no Peru foram deportados para campos de concentração nos Estados Unidos, mas a passagem segura que Odría obteve para ele salvou o pai de Dom Jorge. “Ele se escondeu em Santa Cruz de Cajamarca, porque lá morava um dos clientes que lhe compravam arroz e que se tornaria, anos depois, seu sogro”, lembra. Como anedota, Dom Jorge conta: “meu pai carregou minha mãe nos braços num terremoto para protegê-la, sem pensar que se casaria com ela 16 anos depois”. Naquela época, Dona María tinha apenas dois anos. A história de Dom Jorge começa aqui.


Seu primeiro trabalho foi graças ao Peru Shimpo .

Don Jorge nasceu em Santa Cruz, distrito do departamento de Cajamarca, e corre em suas veias sangue japonês e catalão. Embora não tenha estudado Direito, Dom Jorge estudou Economia em San Marcos, embora os seus estudos tenham sido interrompidos por causa do trabalho (“tinha irmãos mais novos”). Antes de trabalhar no cartório, Dom Jorge lembra que conseguiu emprego na loja de ferragens de José Nakamura. “Foi graças a um aviso que li no Peru Shimpo .”


Notário: de assistente a chefe de seção.

Quando Dom Jorge ingressou no cartório Ricardo Ortiz de Zevallos, o fez como assistente, graças a alguns amigos que ali trabalhavam. Eram finais dos anos 60 e início dos 70. D. Jorge ascendeu mais tarde à chefia de secção, por mérito próprio. “Organizei o cartório, sua mesa de relatórios, a distribuição dos arquivos.” Mas a história inusitada de Dom Jorge nasce do seu espírito autodidata. “Li livros sobre Direito Registral, conversei com os registradores quando fui aos Registros Públicos e aproveitei para começar a estudar quando foi feita uma observação sobre um título. Queria saber por que isso aconteceu e como resolver”, diz ele.


"Grande maestro"

Dom Jorge adquiriu conhecimentos suficientes para até explicar o procedimento a um escrivão e ajudar os estudantes de direito que compareciam ao cartório, os mesmos que hoje ocupam maioritariamente cargos importantes. Precisamente um de seus “alunos” foi seu próprio filho George, que trabalhou no mesmo cartório durante um ano. Fruto das ideias que Dom Jorge teve, George menciona que houve algumas mudanças positivas no sistema de registo. Muitas pessoas que conhecem George Jr. mencionam que ainda se lembram de Dom Jorge como seu grande professor.


Gratidão no livro.

Don Jorge é considerado uma referência e professor por quem hoje é advogado em Direito Registral e teve a oportunidade de conhecê-lo. George menciona os médicos Alicia Shikina e Jorge Luis Castañeda Lora, advogados e agora notários.

O Dr. Jorge Ortiz Pasco, que até abril deste ano ocupou o cargo de Superintendente Adjunto de Registros Públicos, considerou Dom Jorge um de seus professores durante sua estada no Cartório Ortiz de Zevallos, conforme mencionado nos agradecimentos do livro que publicou em 2021 “A qualificação cadastral de documentos judiciais, administrativos e arbitrários”.


Memória única.

Dom Jorge tinha a capacidade de lembrar cada um dos títulos inscritos no cartório, seu número kardex, sua ligação com o número do título e o valor a pagar ou a observação; dados que normalmente são escritos em papel ou consultados em um computador. Esta memória única é um presente que até o seu filho George destaca. “Tive que anotar tudo quando fui ao notário.”


Dom Jorge como pai.

Enquanto Dom Jorge trabalhava no cartório, sua esposa María cuidava dos filhos. Ela era professora e trabalhava até meio-dia e ele voltava para casa às 5.

“Felizmente, meus três filhos nunca foram difíceis para mim”, explica Dom Jorge, “George, Mitsuko e Nobuko foram os primeiros da turma na escola, mas carregamos uma dor tremenda pelo segundo, que morreu oito dias depois de nascer. ” Esta perda motivou Don Jorge e Dona María a amar mais os outros três filhos.


Ele viajou para o Japão com a família e ficou no Peru para trabalhar no cartório.

Don Jorge viajou para o Japão por um ano. “Não ganhava mal no cartório, mas o dinheiro já não dava”, lembra. Foi a época do Fujishock.

Passado o ano, Dom Jorge voltou ao Peru, mas com passagem de ida e volta. Sua intenção era visitar sua família e retornar ao Japão. “Liguei para casa toda semana, mas senti uma coisa tremenda no coração quando vi minha esposa e meus filhos”, diz Dom Jorge, descrevendo uma cena que afeta profundamente todos os ex-dekasegi, inclusive o entrevistador. “Não, você não vai mais sair!”, perguntaram-lhe.

Mas não só a família o esperava, o cartório onde trabalhava tinha uma surpresa para ele. Durante sua ausência, o cartório manteve Dom Jorge na folha de pagamento, mesmo ele tendo praticamente pedido demissão para viajar. “Quanto você ganha aí?”, perguntaram-lhe e pagaram-lhe como se ele fosse um consultor jurídico. “Não sendo advogado, trataram-me como tal”, destaca. Dom Jorge aposentou-se em 2008.


Cinco vezes despejado.

Em 2002, Don Jorge foi diagnosticado com câncer de cólon. “Eles me despejaram até cinco vezes”, diz ele, “mas salvaram minha vida e ainda estou vivo para contar minha experiência”. Dom Jorge passou cinco meses internado, até ser mandado para casa, pois corria risco de pegar algum vírus e isso era perigoso em seu estado. “Não conseguia me levantar ou sentar direito na beira da cama, mal conseguia manter um ângulo de 45º”, explica. Os médicos previram que ele ficaria acamado por pelo menos oito meses. Mas Dom Jorge superou o diagnóstico e ficou de pé depois de cinco meses e meio. Ele acredita que foi sua neta Hatsumi quem lhe deu vontade de viver. Os médicos, porém, atribuíram sua rápida recuperação à sua ascendência japonesa. “Se dependesse de mim”, disse-lhe um deles, “ele teria atirado em mim”. O câncer não derrotou Dom Jorge. Ele completará 78 anos no final do mês.

*Este artigo foi publicado originalmente no jornal Peru Shimpo , edição especial para o Dia dos Pais, em 19 de junho de 2022.

© 2023 Milagros Tsukayama Shinzato / Peru Shimpo

Jorge Otsu Maradiegue tabeliães Peru lei de registro Ricardo Ortiz de Zevallos Notary (empresa)
About the Author

Sansei, cujos avós paternos e maternos vieram da cidadezinha de Yonabaru, em Okinawa. Atualmente ela trabalha como tradutora freelancer (inglês / espanhol) e blogueira do site Jiritsu,, onde compartilha temas pessoais e sua pesquisa sobre a imigração japonesa ao Peru, além de tópicos relacionados.

Atualizado em dezembro de 2017 

Explore more stories! Learn more about Nikkei around the world by searching our vast archive. Explore the Journal
Estamos procurando histórias como a sua! Envie o seu artigo, ensaio, narrativa, ou poema para que sejam adicionados ao nosso arquivo contendo histórias nikkeis de todo o mundo. Mais informações
Discover Nikkei brandmark Novo Design do Site Venha dar uma olhada nas novas e empolgantes mudanças no Descubra Nikkei. Veja o que há de novo e o que estará disponível em breve! Mais informações

Discover Nikkei Updates

CRÔNICAS NIKKEIS #13
Nomes Nikkeis 2: Grace, Graça, Graciela, Megumi?
O que há, pois, em um nome? Compartilhe a história do seu nome com nossa comunidade. Inscrições já abertas!
NOVIDADES SOBRE O PROJETO
NOVO DESIGN DO SITE
Venha dar uma olhada nas novas e empolgantes mudanças no Descubra Nikkei. Veja o que há de novo e o que estará disponível em breve!