Discover Nikkei Logo

https://www.discovernikkei.org/pt/interviews/clips/610/

Um nipo-americano no Japão (Inglês)

(Inglês) O fato de eu ser um nipo-americano no Japão e de ter chegado aqui como um nipo-americano – eu diria que isso fez a coisa mais difícil logo que eu cheguei aqui. Eu acho que fui passando por fases. No começo foi difícil porque havia muitas expectativas. As pessoas encontram com você e acham que você fala japonês. “Você é japonês. Por que não fala japonês?” E eu acho que em parte era minha culpa porque eu não aprendi japonês antes de vir para cá. Mas também havia expectativas em termos de comportamento. Eu aprendi isso na escola, quando eu estava trabalhando na universidade. A estrutura do mundo dos negócios japoneses – as hierarquias que eles estabeleceram são bem claras, e as formas de comportamento associadas a essas estruturas também são bem claras. Eu nunca fui um conformista, mas isso me mostrou uma nova maneira de ver as coisas. Devido ao fato de eu ser um estrangeiro nesse país, eu tive que criar meu próprio caminho e aprender sobre isso tudo. Mas é verdade, isso dificultou as coisas.

Então, eu comecei a aprender mais japonês e isso passou a facilitar as coisas de uma certa forma. Deixa eu repetir o que falei sobre os Estados Unidos. Isso fez com que fosse mais fácil para que eu me desassociasse daqueles americanos óbvios que eram muito grosseiros e desagradáveis, que se comportavam mal talvez por causa do choque cultural ou seja lá qual fosse a razão. É como se eu fosse um “gaijin às escondidas”. Às vezes, você consegue tanto fazer parte da multidão quanto sair dela. Mas com respeito à minha interação com os japoneses, aquilo [aprender o idioma japonês] me facilitou muito porque – na segunda fase – foi muito mais fácil porque não havia aquela tensão. Eles não estavam se encontrando com este estrangeiro óbvio. Eles estavam se encontrando com alguém com quem eles podiam se relacionar sem aquele nível extra de tensão.

E eu diria que na terceira fase voltou a ficar mais difícil porque minha sensibilidade americana, em termos de ser um indivíduo fazendo as coisas do meu jeito, começou a se manifestar novamente. É claro, eu sei como o sistema japonês funciona, e eu sei como os japoneses pensam e trabalham – não tudo, mas a maior parte. Mas ao mesmo tempo – eu estou naquela situação agora. Antes, eu aceitava mais as coisas. Eu aprendi como as coisas eram, e acabei descobrindo coisas que eu não gostei sobre como a sociedade funciona, ou sobre interações, relações humanas, ou a maneira das pessoas agirem. E agora eu fiz decisões conscientes sobre essas questões. Ou seja, as coisas, mais uma vez, ficaram um pouquinho mais complicadas.


Finding Home (filme) estrangeiros gaijin Japão não cidadãos

Data: 12 de setembro de 2003

Localização Geográfica: Tóquio, Japão

Entrevistado: Art Nomura

País: Art Nomura, Finding Home.

Entrevistados

Vince Ota (sansei do lado da sua mãe, yonsei do lado do seu pai), nasceu no estado de New Hampshire. De lá, ele e sua família se mudaram para várias cidades nos Estados Unidos, e também passaram um tempo em Londres antes de se estabelecerem em Gaithersburg, no estado de Maryland. Tendo crescido numa cidade pequena de Maryland, Vince não teve muito contato com outros americanos de origem asiática, exceto durante os verões que passava com seus parentes em Los Angeles. Ele descreve sua infância como “quase igual a de um americano branco”. Eventualmente, Vince se mudou para o sul da Califórnia, onde cursou uma faculdade estadual e o California Institute of the Arts. Ele trabalhou como designer criativo, e morou em Los Angeles por sete anos até se mudar para o Japão. Vince mora no Japão desde 1996 e planeja ficar por lá. Quando a entrevista foi feita, ele estava trabalhando como designer criativo. (12 de setembro de 2003)

Pam Kaji
en
ja
es
pt
Pam Kaji

Experiências no Japão e suas influências (Inglês)

Havaiana descendente de japoneses, mora no Japão com a família.

en
ja
es
pt
Ann K. Nakamura
en
ja
es
pt
Ann K. Nakamura

Conflito entre as culturas japonesa e ocidental (Inglês)

Havaiana sansei morando no Japão. Professora e empresária.

en
ja
es
pt
Robert (Bob) Kiyoshi Okasaki
en
ja
es
pt
Robert (Bob) Kiyoshi Okasaki

Budismo nos Estados Unidos e no Japão (Inglês)

(n. 1942) Ceramista nippo-americano; mais de 30 anos morando no Japão.

en
ja
es
pt
Yukio Takeshita
en
ja
es
pt
Yukio Takeshita

Falta de compreensão do termo cidadania no Japão (Inglês)

(n. 1935) Americano nascido japonês. Empresário aposentado.

en
ja
es
pt
Jane Aiko Yamano
en
ja
es
pt
Jane Aiko Yamano

Ter paciência no Japão, sendo ambos (Inglês)

(n. 1964) Empresária californiana no Japão. Sucessora da avó que iniciou negócios no ramo de beleza no Japão.

en
ja
es
pt
Wayne Shigeto Yokoyama
en
ja
es
pt
Wayne Shigeto Yokoyama

Estando do lado de fora (Inglês)

(n. 1948) Nikkei do sul da Califórnia morando no Japão.

en
ja
es
pt
Enson Inoue
en
ja
es
pt
Enson Inoue

Sou americano, mas minha casa é o Japão (Inglês)

(n. 1967) Havaiano lutador profissional no Japão

en
ja
es
pt
Peter Mizuki
en
ja
es
pt
Peter Mizuki

Japão vs Tulsa Oklahoma (Inglês)

Nipo-americano sansei e praticante de Kendo residente no Japão

en
ja
es
pt

Discover Nikkei Updates

CRÔNICAS NIKKEIS #13
Nomes Nikkeis 2: Grace, Graça, Graciela, Megumi?
O que há, pois, em um nome? Compartilhe a história do seu nome com nossa comunidade. Inscrições já abertas!
NOVA CONTA DE MÍDIA SOCIAL
Estamos no Instagram!
Siga-nos @descubranikkei para novos conteúdos do site, anúncios de programas e muito mais!
NOVIDADES SOBRE O PROJETO
NOVO DESIGN DO SITE
Venha dar uma olhada nas novas e empolgantes mudanças no Descubra Nikkei. Veja o que há de novo e o que estará disponível em breve!